Google+ Followers

terça-feira, 25 de outubro de 2011

PROJETO DE LEITURA "MONTEIRO LOBATO"


A PROFESSORA ARLETE AGUZZOLI PARTICIPOU DA EXPOSIÇÃO DE TRABALHOS NO CENTRO DE CULTURA ORDOVÁS.
OS ALUNOS DOS 6ºS ANOS A e B TRABALHARAM COM A RELEITURA DO CONTO DA ESCRITORA LYGIA FAGUNDES TELLES "AS FORMIGAS".
CONFIRA OS TRABALHOS:


PROFª ROSANA RIZZON - LIE


PROFª MARLI GODOI - L. PORTUGUESA


(GUILHERME)(VANESSA)(SABRINA)
(RAFAEL)
(MAYARA)
(MATEUS)
(LUANA)
(LEONARDO s)
(LEONARDO)
(LARISSA)
(JESSICA)
(JAQUELINE)
(GUILHERME)
(FABIO)
(ELOY)
(DAVID)
(DANIELE)
(CHRIS)
(CARLOS)
(AMANDA)
(VITOR)
(TAYNARA)
(MATHEUS SIRONI)
(SHIRLEI)
(RAQUEL)
(NICOLAS)
(MEG)
(MARIANA)
(KAUANE)
(JONAS)
(JESSICA)
(JEAN)
(IGOR)
(GABRIELI)

(GABRIEL)
(FRANCIELE)
(DOUGLAS)
(DARLAN)
(CAROLINE)
(BIANCA)


Durante o ano de 2011 nas aulas semanais de redação produzimos muitos textos de diferentes gêneros.
A seguir apresentamos algumas de nossas produções que revelam muito de nós: consciência crítica, desejo de um mundo melhor, bom-humor, romantismo, imaginação, criatividade, sentimentos, emoções, conhecimento de mundo, domínio da escrita...






A Nossa Água

Alana Gebing Scheid ( T. 82)
A cada ano mais e mais pessoas habitam o nosso planeta Terra. No entanto a quantidade de água que podemos usufruir é a mesma. Se abrirmos a torneira cem vezes ao dia, nas cem vezes a água sairá da mesma reserva do subsolo, dos mesmos rios, dos mesmos córregos, mas muitas vezes ,na correria do dia-a-dia, não percebemos o quanto nossa água é preciosa. As pessoas ainda não entendem a importância da água em nossas vidas,deveriam ficar só um dia sem ela. Sem beber, sem escovar os dentes,sem tomar banho, sem lavar as mãos antes das refeiçoes, sem limpar a casa, sem lavar o carro e as calçadas, pois se continuar o desperdício e a poluição em águas da nossa cidade, é isso que irá acontecer, não poderemos mais fazer todas essa coisas...
No parque, no centro da cidade, um pai passeia com seu filho de cerca de cinco anos. O garotinho então sente sede e vai tomar água no bebedouro, que fica aberto por muito tempo, sem que ninguém aproveite a água que dali sai. Muito se fala em preservar o planeta para o futuro de nossos filhos, mas que espécie de filhos vamos deixar para o futuro do nosso planeta?
Além disso outro grande problema é a poluição. Andando pela nossa cidade percebemos como os rios estão poluídos, até o chafariz da praça e também a Lagoa que fica em nosso bairro. O que vemos boiando na lagoa do Desvio Rizzo são panos, pneus, latas, brinquedos, até estofados e fogões, mas o que mais me chama a atenção é a quantidade excessiva de preservativos e garrafas de cerveja em meio a Lagoa tao bonita.
O mundo será mais bonito quando as pessoas não só se preocuparem com prazer e diversão, e sim quando souberem respeitar verdadeiramente o meio ambiente. Ninguém irá ganhar nada destruindo o meio ambiente, pelo contrario, só irá perder, pois a água que estamos poluindo agora poderá nos fazer falta no futuro.
A solução desse problema depende de nós! Com um pouco de cuidado podemos usar águas limpas a não desperdiçando-a iremos preservar esta obra prima do criador: A nossa água!
É nosso dever não agredir a natureza e saber que são as nossas ações que influenciam todo o ecossistema do planeta Terra. Precisamos mudar nossa maneira de pensar e agir. Temos que consertar o que foi feito e felizmente todos nós podemos ajudar a proteger os nossos lagos,rios,córregos e oceanos.
Nós podemos mudar essa situação!



Dia no Parque
Alana Gebing Scheid (T. 82)
Era um lindo dia de sábado,com poucas nuvens e bem ensolarado. Eu estava no parque, olhando a paisagem até que Marcelo chegou. Eu estava sentada,quando o avistei logo levantei para lhe dar um abraço cheio de saudade e então ele pegou na minha mão e me deu um beijo carinhosamente. Sentamos no banco e contamos um para o outro como havia sido a semana,o trabalho,a escola,os problemas e ele me demonstrou uma leve alegria por estar ali, comigo, naquele momento.
Depois da conversa,fomos tomar um sorvete, pois estava fazendo muito calor. Assim aproveitamos também para dar uma volta no parque. Avistamos uma árvore bem grande,que fazia uma sombra enorme no gramado então ficamos lá para saborear o sorvete.
Eu sentei na grama e ele deitou com a sua cabeça no meu colo,comecei a cantar algo, para ele dormir,era uma música que ele adora,ali naquela sombra ficamos rindo de tudo,fazendo previsões para o futuro,vendo como estávamos felizes ali...juntos...
Fomos então ao carro e pegamos nossas bicicletas para andar no parque. Lembro-me de rirmos muito quando Marcelo quase atropelou o cachorrinho de uma menininha que brincava por ali. O cachorrinho se atravessou na frente da bicicleta e Marcelo teve que frear para não atropelar o pobre animalzinho e Marcelo quase caiu. Depois de dar boas risadas ainda deu tempo para tirar umas fotos que ficaram perfeitas,muito lindas!Então após as fotos percebemos que era hora de ir embora,assim aquele dia maravilhoso no parque acabara. No caminho para casa ficamos ouvindo e cantando as músicas da nossa banda favorita Engenheiros Do Havaii,Então ele me levou até em casa,novamente pegou na minha mão e me deu um beijo carinhoso. Eu então lhe dei um abraço e agradeci pela tarde maravilhosa que passamos juntos.


Minhas festas de Aniversário
Alana Gebing Scheid (T. 82)

Hoje estava caminhando pela rua quando a esquerda avistei uma loja. Na vitrine em meio as roupas que estavam exposta havia balões,enfeites,confetes e ainda várias caixas de presentes. Em poucos instantes comecei a recordar-me das minhas festas de aniversário.
As minhas festas de aniversário aconteceram na minha infância e eram dias muito especiais para mim. Elas aconteciam na minha antiga casa onde apenas recordo-me de momentos de felicidade e alegria. Todos os anos quando aproximava-se da data do meu aniversario era um correria lá em casa. Tudo devia de estar pronto até a hora da festa:O bolo,a decoração,a música,a mesa de presentes...Tudo deveria estar no seu devido lugar!
Como era filha única ficava extremamente contente com o esforço de meus pais que


Calendário do Medo
Jéssica Ianca de Castro (T. 82)
Conforme estudos e pesquisas a Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo, divulgou o percentual de homicídios para cada dia da semana. As taxas variam dependendo do dia. No fim de semana chegam a passar de 2o% ao dia. As terças e quintas, em relação aos outros dias da semana, parecem ser mais tranquilos com taxas de 9,7%. Na segunda e na quarta a porcentagem fica próxima aos 12% e na sexta se eleva, ultrapassando aos 13%.
Podemos assim notar que os dias que seriam de lazer por serem o fim de semana, a segurança e o cuidado devem ser dobrados , pois estatisticamente são os dias mais violentos, em que há maiores riscos da ocorrência de homicídios.
É um absurdo pensarmos a que ponto chegamos! A população fica amedrontada e aos poucos perde o direito de curtir seus momentos de descanso e lazer com tranquilidade. Sucessivamente as pessoas estão se isolando e afastando-se umas das outras não confiando mais nem em seus próprios vizinhos!
Utilizam a casa como uma fortaleza, mesmo sabendo que talvez nem assim estejam totalmente seguros.
É triste pensar que essas taxas acabam formando um “Calendário do Medo”, no qual as pessoas se baseiam, para obter um pouco mais de calma e paz interior em seu dia.
Sabemos que essas estatísticas tendem a mudar, as taxas podem aumentar se não houver nem uma ação para mudar isso. Não adianta nos privarmos e nos escondermos da violência nas ruas, ignorando noticiários, agindo como se tudo isso fosse normal. Eu reflito e o sentimento de impotência toma conta de mim, pois sei que sozinha nada posso fazer para mudar ou reverter esta realidade das grandes cidades de nosso país.
Grande parte da população é egoísta e nem ao menos para pra pensar sobre o assunto, só se dá conta do problema quando algo ocorre próximo a ela, mas aí... bom, aí já é tarde demais!

A ida para Passo fundo

Mayara dos Santos Lima (T. 82)
No dia três de junho de 2010 fui passear em Passo Fundo com meu irmão Marcos....iria passar três dias lá...no dia em que cheguei aproveitei para descansar...no outro dia fui conhecer o centro da cidade com minha tia Tânia,minhas primas Isadora,Giovana, e meu primo Rogério...foi muito bom...logo depois que chegamos em casa eu e a Isadora fomos dar uma volta no bairro em que ela mora o Jardim América muito bom...conheci alguns amigos dela que se tornaram meus amigos também...pela noite o namorado da Isa foi na casa dela para jogar play 2...tivemos que ficar acordadas até cinco horas da manhã esperando os “bonitos” pararem de jogar...mas o dia que ficará guardado na minha memória para sempre vai ser o dia cinco de junho...
Pela parte da tarde ficamos em casa assistindo televisão...ao anoitecer o Matheus ligou para convidar meu irmão para jogar bola no Seminário(lugar onde eles jogam)...e é claro que nós duas íamos também...então tivemos que ir a pé, pois o carro do Matheus estava na mecânica...fomos conversando,brincando,etc... tivemos que ir na casa de um amigo do Matheus pois ele iria jogar também e queria ir conosco...estávamos esperando ele e apareceu outro amigo dele Dhiogenes o protagonista da minha noite... nos cumprimentamos e tal...nada de mais e eu achei...minha noite vai ser horrível afinal só tínhamos eu e ela de meninas no meio de oito meninos...assistimos o jogo eu comecei a observar o Dhiogenes...ele com aquela camiseta do Messi jogador da Argentina...(adoro)...aquele jeito conquistador...pra quê?!me apaixonei...
Depois do jogo fomos para a casa do Matheus ...no caminho ele e meu irmão foram na frente...e deixaram eu,a Isa e o Rodrigo para trás...estávamos conversando bem distraídos...até que meu irmão e o Matheus apareceram e deram um grito para nos assustar...nossa demos um grito...quase ficamos surdas com nossos próprios gritos...Então chegamos na casa do Matheus e os meninos foram fazer a janta seria um salchi pão (salsichão com pão)...por volta de três horas da manhã eles resolveram jogar play “de novo” e quem se ferrou novamente? Eu e a Isa e dessa vez foi pior, porque não podíamos ir sozinhas para casa, pois já era noite e não podíamos dormir... estávamos com medo que eles fizessem besteiras...sabe né?meninos acordados e sozinhos não iria dar boa coisa...
Por volta de cinco horas da manhã recebi a seguinte noticia:o Cleiton,o Dhiogenes,e o Rodrigo haviam pedido pra ficar comigo...nossa...fiquei sem reação, mas eu amava outro menino e não queria me envolver para não sofrer depois...conseguimos ir para casa por volta de sete horas da manhã...com muito sono...tivemos que acordar as oito, pois meus pais chegariam da viagem que eles fizeram e iam nos buscar para irmos para casa,mas eles disseram que não era pra eu sair à noite (ir para festas e tal) e eu não fui, mas mesmo assim resolvemos que não íamos contar para eles que fui na casa do Matheus...meu irmão ficou dormindo até mais tarde. Eu e a Isa fomos na casa da minha prima nesse instante meu irmão acordou e contou tudo para meus pais...pra que...me incomodaram um monte...
Fomos para casa e eu só pensando na burrada que eu fiz por não ficar com o Dhiogenes...no dia sete de junho alguém começou a me ligar mas eu não sabia quem e não podia retornar a ligação eu estava sem crédito...coloquei cartão e liguei pra ver quem era e fiquei muito feliz com a resposta,era o Dhiogenes! Começamos a nos falar e acabei percebendo que não podia mais viver sem ele ...namoramos e tal...mas eu gostava tanto de outro menino que nem o Dhiogenes conseguiu fazer eu parar de pensar nele...no dia dois de agosto resolvi que não ia mais ficar me enganando e enganando ele...e resolvi não falar mais com ele...chorei a noite inteira...pois estávamos nos despedindo e ele tentando me fazer mudar de ideia...mas eu não mudei era isso que eu queira e foi isso que eu fiz...terminei com ele...nunca mais nos falamos, mas eu percebi que ele me fez muito feliz e um ano e pouco já se passou e não consigo mais o esquecer..

Meu aniversário
Roselaine Figueira Godoy (T. 82)
Em um belo dia ensolarado,eu iria ter um piquenique para ir, mas eu queria ir ao aniversário de uma amiga minha que iria fazer 15 anos. O piquenique,iria ser num parque fechado e para entrar tinha que ter convite,eu estava na fila e chegou a minha vez e o recepcionista perguntou quantos anos eu tinha:
-Eu tenho 14 anos, mas vou fazer 15.
-E seu nome?
-Patricia.
-Então pode entrar.
O piquenique foi bom, mas eu não gostei de perder a festa da minha amiga.
E chegou o dia 4 de março e meu aniversário! Minha mãe tinha preparado tudo, mas não havia me contado nada! Foi surpresa!
Ela me falou que não tinha condições de fazer uma festona daquelas bem bonita de 15 anos. Mas iríamos na pizzaria. Então chegou as 22h e minha mãe disse:
-Você esta pronta? Vamos!
Então disse que já estava pronta. Saímos, então eu percebi que não era o caminho da pizzaria,mas fiquei quieta e esperei. Minha mãe disse:
-Chegamos!
E eu respondi:
-Aqui! Mas aqui é um salão!
E ela respondeu:
-É a sua festa!
Depois que ela falou isso fiquei contente,entrei no salão e todos estavam ali, mas a parte mais bonita foi quando mensionaram o meu nome:
-Patricia,compareça aqui um instante.
Era meu pai que queria dançar uma valsa comigo,como todos fazem. E a minha festa foi muito boa,todos se divertiram e eu mais ainda,e todos estavam felizes.
Esse meu aniverssario foi o mais lindo,porque todos estavam ali principalmente as pessoas que eu mais amo,e o que eu mais gostei foi da surpresa e eu achando que ia ser apenas uma janta como a maioria faz,quando não conseguem fazer uma coisa bonita pra suas filha. Adorei tudo!


Um romance proibido
Maiara Neis (T. 82)
Em uma pequena cidade, morava uma linda garotinha,que acabava de completar seus 15 anos ,havia ganhado de seus pais uma linda e grande festa de aniversário.
Essa menina chamava-se Alice,uma garota loira,dos olhos azuis,e era apaixonada por um garoto da cidade vizinha,os dois se viam todos os dias durante a escola,haviam se apaixonado um pelo outro.
Os pais da menina não a deixavam namorar,falavam que ela era muito nova e teria de estudar,mas a menina insistia:
-Mãe! Por favor me deixe namorar. Prometo que vou me comportar.
Sua mãe continuava a lhe dizer:
-Nem pensar menina,você só vai namorar depois dos seus 18 anos.
Como a menina,amava muito aquele garoto ela saia escondido, nunca aprontou, mas sempre saiu com ele. Pelo fato dela morar em uma cidade pequena sempre contavam para sua mãe. E sua mãe por ver que não adiantava mais,acabou apoiando o namoro da filha.
Alice então foi pedir ao seu pai, que lhe deu como resposta “NAO”.
A menina mesmo assim continuou vendo e saindo com Rodrigo. Sua mãe os ajudava. Com o passar do tempo,depois de muito sair escondido de seu pai, a vizinhança contou para ele que ficou muito furioso.
Depois de muito sua mãe insistir, Seu João, o pai, concordou com o namoro.
Conversou então com Alice e sua mãe, Vera colocou algumas regras e decidiu conhecer o genro.


Males para o bem
Amanda Cristina Telles – (T. 82)
Não estou me sentindo bem. - digo para Lara
O que é que você tem?
Não sei ao certo, mas acho que estou com febre.
Vamos para a enfermaria – disse ela assim que colocou as costas da mão na minha testa para ver se eu estava com febre.
Não precisa, não deve ser nada.
Nos vamos agora1 você deve estar com uns 40° de febre. Não ouse discutir comigo!
Eu já deveria saber que não dava pra falar nada pra Lara. Depois que a mãe dela teve uma convulsão por causa da febre e quase morreu, Lara ficou super paranoica, acha que qualquer febrinha vai fazer uma pessoa ter uma convulsão. Mas, para tranquilizá-la resolvi ir até a enfermaria da escola com ela.
Oi querida, o que houve com você? - perguntou a enfermeira assim que me viu.
Nada – respondi ao mesmo tempo em que Lara disse:
Ela está ardendo em febre.
Vamos ver se não é nada mesmo, sente-se aqui, por favor. - e indicou-me uma maca.
Sentei-me e ela colocou um termômetro digital em baixo do meu braço. Ela estava com a mão gelada, o que me deu mais frio ainda, se é que isso é possível. O termômetro começou a apitar e a enfermeira pegou-o e fez uma cara de espanto. Me assustei.
AIMEUDEUSDOCÉU, Gisele! Você está com 40.3° de febre. Tome esse anti-termico que eu vou ligar para a sua mãe e chamar uma ambulância.
Tentei dizer que não precisava, que a febre ia passar, mas a enfermeira estava enfiando o remedio goela abaixo e saindo pela porta. Olhei para Lara. Ela estava apavorada, provavelmante lembrando do que aconteceu com a mãe dela. Tentei tranquilizá-la, mas ela apenas disse:
Estou bem, quem precisa de medico é você. Espero que o medico de plantão não esteja muito atarefado porque já são 20h30.
25 minutos depois eu já estava a caminho do hospital com a minha mãe do meu lado cheia de lagrimas nos olhos. Quando chegamos, o médico que me atendeu foi super atencioso. A febre não tinha passado, então ele me fez perguntas para descobrir a origem, já que eu estava medicada. Então ele pegou o estetoscopio e foi escutar o meu coração. Ele fez uma caria séria.
Deite-se. - ele pediu
deitei.
Acredito que a origem da febre seja um problema no coração. Venham até meu consultorio amanhã as 14horas que eu vou encaixá-la, gisele, entre meus pacientes.
O que você acha que é, doutor? É grave? Em que area da medicina o senhor se formou? Pode falar, doutor. Não nos esconda nada.
Senhora, eu sou formado em cardiologia. Não posso dizer o que sua filha tem antes dos exames. Faremos uma ecografia do coração. Preciso também de um exame de sangue. O endereço do meu consultório está nesse cartão. Preparem roupas também, por que dependendo do resultado do exame, pode ser que você, gisele, tenha que ser internada. Agora, se me derem licença a emergencia está cheia e só tem eu e outro médico de plantão. Podem ficar aqui o tempo que quiserem.
Estava em choque, não conseguia pensar. Levantei e fui saindo. Precisava estar em casa. Isso era só um pesadelo e logo eu iria acordar.
Agora minha mãe me guiava pela mão até o carro. Eu estava ficando mais apavorada a cada segundo que passava. Sentei no banco da frente, pus o cinto e fomos para casa.
O que está acontecendo comigo? Estou doente? Meu mundo está desabando. Começo a sentir um gosto de agua salgada na boca. Levo a mão aos olhos, estão molhados. Estou chorando. Olho para minha mae. Lagrimas escorrem abundantemente de seus olhos, ela parece estar perdida. Preciso tanto da minha mae agora. O que estou falando/ Minha mae não precisa de mais um problema na vida dela. Posso, tenho que aguentar isso sozinha. Chegamos. Corro ate meu quarto. Só quero que esse pesadelo acabe. Tenho que acordar.
Oh querida, isso vai passar, vai ficar tudo bem. - dizia minha mae enquanto afagava meus cabelos. - vai ficar tudo bem...
Me agarrei a ela, estava apertando minha mae. Quanto mais pergundos e incertezas surgiam, mais me apertava e ela.
Choramos em silencio por algum tempo. Não sabia dizer se foram se foram minutos ou horas. Tudo isso era tão surreal.
Não sei a que horas dormi. Mas quando acordei eram 7 horas da manha. Senti um cheiro de comida, mas meu estomago estava embrulhado. Ainda estava fora de mim.
Bom dia, meu amor. Já liguei para o trabalho avisando que não irei hoje. Como está se sentindo?
Não sei, mae. Isso tudo não parece real. E um pesadelo do qual vou acordar a qualquer minuto, não é mae? - dizia, repetia enquanto uma nova onda de lagrimas insistia em surgir.
Oh, meu docinho, vai ficar tudo bem sim... Vai ficar tudo bem.- repetia ela enquanto me abraçava apertado.
O telefone toca. São 7h30. Quem será? Minha mae se levanta e atende.
Alô
Breve pausa.
Foi tudo bem, ela está bem. Mas está precisando de você. Venha pra cá o quanto antes.
Soube instintivamente que era a Lara. Outra pausa.
Ela está bem. Isso não é assunto para se tratar por telefone. Apenas venha.
Ouço um murmurio agitado por parte da outra pessoa na linha.
Ok, até depois.
Era a Lara, não era?- pergunto choramingando.
Era, daqui a pouco ela vem.
45 minutos mais tarde a campainha toca. Minha mae atende. Lara entra igual a um furacao dentro da minha casa, e quando me vê, me da um abraço de urso.
Como vocẽ está? Fiquei tão preocupada. Até o Leandro, vendo como eu estava e que você tinha sumido veio me perguntar de você. Me conta. O que houve? O que...
Já nem escutava mais. A simples mençao do nome Leandro meus olhos começavam a brilhar. Ele se reocupou comigo? Ele sequer sabia que eu existia? Ah, o Leandro, meu L.
Alô-o? Você está aí?
Voltei o transe com uma mao balançando na minha frente.
Silvia, traz um copo de agua pra jogar nessa guria. Pronto, foi só falar do Leandro que ela já fica assim. Pelo menos a gente sabe que não é o fim do mundo.
Estou bem, estou bem, estou bem. Espera aí, o Leandro perguntou de mim? O que ele disse? Ele estava mesmo preocupado? Quero detalhes, anda, anda, anda. Fala tudo!
Vou deixar vocês conversarem. Vou ir no mercado. Já volto, meu amor.
Agora FA-LA!
Eu aqui toda preocupada com você, e a senhorita só quer saber de um cara. Poxa vida, né?! Eu respondo todas as suas perguntasse você responder as minhas.
Tudo bem. Agora fala!
Depois que eu sai da enfermaria, estava super preocupada. O Leandro viu a ambulancia e depois quando me viu começou a perguntar se tinha acontecido alguma coisa com você, por que você estava saindo do colégio numa ambulãncia, pra que hospita você tinha ido... Ele sabe ser um CHATO quando quer. Eu respóndi tudo o que eu sabia, ou seja, nada. A não ser que você estava com febre alta. Agora fala você. O que houve?
Quando eu cheguei no hospital um cardiologista me atendeu. Ele disse que a febre é por causa de um problema no coração. Ele está desconfiado que seja algo grave, mas não quer falar nada, até que os exames que ele pediu sejam feitos. Hoje de tarde eu vou ter que ir fazer uma ecografia do coração. Estou com tanto medo!
Lara me abraçou com toda a sua força.
Vou com você- falou entre soluços, abraçada em mim.
Não sei de onde meu corpo tirava tanta agua para lagrimas. Mas eu estava com tanto medo. Me agarrava ainda mais à Lara. Minha mae chegou nos encontrou abraçadas e se juntou a nós. Não sei o que seria de mim sem essas duas.
À tarde fomos no médico. Fiz a eco. No consultório as noticias foram ainda piores.
Sinto muito. As noticias não são boas. Você, Gisele, tem o que chamamos de cavidade intra-arterial. É uma má formação que em uma explicação simploria o gas bcarbonico presente nas arterias passa para as veias, retirando o oxigenio do sangue e consequentemente retirando-o do corpo. Basicamente, um buraco no meio do coração.
É muito grave doutor? - perguntou minha mãe.
Receio que sim. Para avaliar melhor a extensão dessa cavidade terei que fazer uma ecografia trans- esofagica. Nela filmaremos o seu coração internamente.
Qual é o tratamento, doutor?
Depois de avaliarmos melhor, provavelmente teremos que fazer uma cirurgia.
Entrei em choque. Sei que infantilidade minha, mas corri do consultório para os braços de Lara. Precisava da minha amiga. Queria fugir dali. Aquilo não podia estar acontecendo. Lágrimas escorriam pelos meus olhos.


O atraso
Amanda Cristina Telles – (T. 82)


Acordei com o sol no meu rosto, levantei e me senti indisposta, sabia que estava esquecendo de alguma coisa, mas não conseguia lembrar o que. Olhei para o relógio, 9 horas... MEUDEUSDOCÉU!! eu tenho médico! Tenho estar no centro em 20 minutos, odeio saber que eu tenho que fazer as coisas correndo, sem contar que mesmo eu fazendo isso, irei me atrasar.
Comecei a ficar agitada, e a pressa já tomava conta de mim, nem me olhei no espelho direito, penteei o cabelo, escovei os dentes e vesti a primeira roupa que eu vi na minha frente, sai de casa sem nem saber o que eu estava vestindo, só tinha na mente o horário que ia passar o ônibus!! “Meu deus! Tenho um minuto para chegar na parada, que fica há umas duas quadras de minha casa. Sai correndo, ainda bem que não estava de salto, mas quase caí um tombo, que raiva!
Quando eu estava a uns 5 metros de distância, o ônibus passa, e mesmo eu fazendo sinal, ele resolve me ignorar!! Tive que esperar o próximo ônibus, ainda bem que moro num bairro onde passa um ônibus atrás do outro. Comecei a ficar impaciente, cheguei a calcular o tempo como uma louca.
- Tenho 15 minutos para chegar no centro, levaria 30 minutos se eu já estivesse naquele ônibus, mas adicionando o tempo que eu teria que esperar, levaria no mìnimo 45 minutos para chegar no consultório. Será que o médico me atenderia?! Ai! Cadê esse dito desse ônibus que não chega?! Tomara que o médico tenha se atrasado com algum paciente, afinal todo médico se atrasa... Eu acho
Levou exatamente 7 minutos para o ônibus chegar, ele estava cheio, e o dia estava ficando cada vez melhor, pensei sarcasticamente




A festa
Amanda Cristina Telles – (T. 82)

Eu era a epenas uma menina humilde, e me contentava com pouco, mas havia uma coisa com que eu sonhava, uma festa de quinze anos. Desde pequena adorei festas, e nunca tive a oportunidade de ter uma.
Quando eu tinha quatorze anos, comecei a tocar no assunto com os meus pais, exemplo de pessoas que acham que festa é jogar dinheiro fora, mas mesmo assim com toda a minha persistência , tentei convencê-los que uma festa seria um momento único e inesquecível.
Naquele momento de contrariedade fui vendo até onde eu iria chegar, mas meus pais não faziam questão de me dar uma festa.Subi para o meu quarto, que naquele momento estava tão bagunçado que pareceia não ser arrumado há anos.
Abri um álbum e comecei a olhar as fotos que , tinha muitas fotos, lembranças, voltei praticamente ao passado e fui pensando na possibilidade de meus pais estarem certos, eu tinha felicidade, não precisava de uma festa para provar isso.
No dia seguinte meus pais me chamaram, fiquei com medo, será que mudaram de ideia? Sim, é isso, eles mudaram de ideia, quando recebi a notícia que iria ter a minha festa eu pulei, gritei, fiquei muito feliz.
No dia da festa, eu estava tão feliz, nunca havia sentido tanta alegria antes, foi uma festa simples, mas inesquecível. Amigos, presentes, música, tudo parecia perfeito, e tudo foi perfeito, ri, dancei e até fiz um discurso.
Mas melhor do que uma festa de quinze, é ter amigos e família ao seu lado.


AUTO-RETRATO VERBAL
LEONARDO MATHEUS SILVEIRA NETTO(T-82)
Olá meu nome é LEONARDO MATHEUS SILVEIRA NETTO estou na 8° serie novamente da escola Professora Leonor Rosa, faço curso pelo SENAC em curso sobre comércio, tenho 15 anos, sou moreno de olhos castanhos claros, tenho cabelos escuros, minha altura é 1,65 cm tenho 58 kg.
Meus hobies são praticar esportes, artes marciais, gosto de música eletrônica, pagode, e eletro funk, também gosto de dançar estilos eletrônicos.
Estamos no final do ano e acho que vou me dar bem esse ano espero que eu passe, pois estou a procura de um emprego bom; eu não aguento + fica sentado na frente de um PC fazendo pedidos …meu trabalho atual!



Receita ao Tchê
Cristine Carvalho (T. 82)
Ingredientes:
Árvores de eucalipto
Água
Desfibrador
Depurador
Prensa-pasta

Modo de fazer
Guri sei que estão plantando árvores de eucalipto ai na serra,então ai vai a receita pra faze a folha de papel .
Tchê pega árvores de eucalipto tira a casca dela.
Lava a madeira para tirar todas as impurezas.
Bá guri só uma recomendação não te esquece que a madeira retirada tem que ser replantada.
senão tu te ferras com as autoridades do país.
Depois pegas a madeira e põe no desfibrador,
tu bens sabe que isso usa de um mecanismo avançado,eu não intendo muito,
mas tu que és mais novo sabes que isso que falo,
logo após,coloca no depurador,isso separa as fibras,grossas e finas
O 5º passo tu pegas a pasta da madeira e coloca na prensa-pasta e secas,
e terás a folha de papel !


O Homem e o Leite
Daniele Scopel
Eram aproximadamente 22 horas quando um jovem começou a se dirigir para casa.
Sentado no seu carro ele começou pedir,que Deus falasse com ele. Após ter pedido isso, veio um pensamento em sua cabeça... de que ele tinha que comprar um galão de leite naquele momento.
Ele ficou meio assim, e pensou:
“Deve ser Deus que está me mandando fazer isso.”
Então ele procurou, procurou e achou um lugar para comprar o leite aquela hora da noite.... Comprou o galão de leite e pensou:
“O que vou fazer com isso agora?”
Entrou no carro e foi seguindo rumo a sua casa, quando estava passando numa esquina, veio um pensamento que deveria virar para lá.... ele sem saber de nada pegou e virou.
Aquele lugar era muito escuro, todas as casas escuras,tudo em silêncio... mas quando ele estava pensando em ir embora avistou bem lá no fundo uma luz....
Seguiu até lá, como mandava seu pensamento,chegando lá era uma humilde casa “bem pobre”, chegando perto da porta o q ouviu foi um choro de criança bem no fundo da casa.
Ele bateu na porta meio assim e esperou que viessem o atender.
De repente a porta se abre e aparece um homem com um rosto triste e meio chorando. Ele pediu o que o jovem queria!
O jovem falou: B Boa noite,estava indo para minha casa quando de repente veio em meu pensamento para mim comprar um galão de leite e trazer até aqui vocês estão precisando?
O homem chorando começou a falar:
-Você foi um anjo que Deus mandou, já faz três dias que nossa filha de 9 meses tá sem leite.... minha mulher não tem leite e não temos dinheiro para comprar …
O homem pegou a galão de leite correu para a cozinha para fazer o mamadeira da criança que gritava de fome... O jovem ficou na porta esperando,então o homem voltou e o jovem falou
Esse é todo dinheiro que tenho mas não vai me fazer falta, sei que vocês precisam bem mais que eu.O jovem pegou o dinheiro na carteira e entregou na mão do homem,o homem muito emocionado agradeceu várias vezes e disse que nunca teria como devolver:O jovem disse que nunca precisariam devolver pois esse dinheiro não vai lhe fazer falta, deu boa noite ao casal e deixou seu numero caso precisassem de alguma coisa...O jovem foi embora muito felizes.



De um Velho Amigo
Guilherme Rodrigues

Te amo de verdade
Te juro fidelidade
Quem dera toda a eternidade
Ao teu lado eu possa passar
Pois amo te amar
E mesmo que o que nós temos
Que pode ter fim e nós sabemos
Por desventura um dia acabe
Voltarei aos velhos tempos
Teatino como o vento
Para amar-te na amizade



Grandes Amigos

Guilherme Rodrigues

É, meu caro... Olhando para estes dois tão apaixonados não dá para dizer que eles já passaram por tanta coisa. Estou me referindo à história de dois amantes, que já passaram por momentos tão esplêndidos, como também por desventuras, onde vi rostos tão tristes como nunca havia visto. Então, relato a história desse romance, dessa paixão, desse casal tão lindo: o garoto que vive de sonhos e tem o dom de amar, que achou um alguém especial para compartilhar seu amor, com muito carinho.
“Eles já foram tão amigos e também já sentiram tamanho desgosto ao ver a cara do outro”
Os dois ainda não se conheciam, às vezes se olhavam e cumprimentavam-se friamente. Faziam parte de uma turma de curso, que se dividia em duplas, pares para trabalharem juntos . Ele, a achava esnobe. Ela, o tinha como um qualquer. Os dois estavam sozinhos na formação dos pares. Talvez o vento tenha soprado na direção do destino, que fez ali, o que havia de ser feito.
Os dois agora eram um par. Apesar de seu desgosto, ele se esforçou para passar uma boa imagem, inicialmente. Ela, não mostrou gosto nem desgosto.
No inicio, um apenas tentava ser o mais simpático possível com o outro. Conversavam entre si, ele sempre mais do que ela, para conhecerem um pouco mais sobre o outro.
Iam conversando, aprendendo um pouco mais sobre o outro. Isso se estendeu por algum tempo. Tornaram-se amigos, mais amigos, grandes amigos.
Quando já fazia quase um ano que trabalhavam juntos, despertava naquele garoto que tem o dom de amar, o inicio de uma paixão, provinda de sua amizade com ela. Este sentimento era intenso, mas tinha que ser controlado.
O garoto a amava. A tinha como amiga, a amava como muito mais que uma amiga. Desejava poder expressar seus sentimentos de uma forma diferente, além de seus abraços e das belas palavras que diz e escreve até hoje.
Seu sentimento por ela se intensificava cada vez mais. Crescia a cada vez que ele via o rosto dela, um semblante que não saía do seu pensamento. Este sentimento ia tomando conta do seu corpo, da sua cabeça, da sua alma, do seu coração. Ele pensava em contar o que sentia por ela para ela. Talvez soubesse que era o certo a fazer. Porém, o medo que vinha da incerteza dos sentimentos dela por ele, o medo da reação dela, o medo de perdê-la, mesmo que não totalmente, era uma barreira imensa, difícil de superar.
Esse amor crescia tão rápido, que não havia explicação. Talvez ele a amasse tanto por ter que manter um amor grandioso escondido em profundo silêncio, travado na garganta.
Até que um dia, ao levantar-se da cama e pisar com seu pé direito no chão, o garoto sonhador percebeu que algo estava mudado nele: seu coração estava completamente tomado. Com isso, resolveu contar o que sentia por ela, de coração na mão. Como não se animava a dizer pessoalmente, tentou expressar-se ao máximo com suas palavras. Por causa do medo da reação da garota, implorou algumas vezes naquela carta para que ela não mudasse seu jeito com ele por causa do que ali estava escrito, pois eram tão próximos, tão... amigos.
Depois de tudo, o que ele mais queria era que ela não se afastasse dele, por causa do que ele havia contado por escrito, mas ele também guardava o anseio de tocar aqueles lábios suavemente com os seus. O desejo de matar um desejo o corroía por dentro.
No primeiro momento, ela não demonstrou corresponder aos sentimentos do rapaz, mas ele possuía as esperanças de ser correspondido.
Ele lhe mandava belas palavras todas as semanas. Pessoalmente, não comentavam nada sobre aquele assunto, seus olhares diziam tudo.
Ele a amava mais que qualquer uma, mas, conformado com um amor não correspondido, buscava sentir algo em outros lábios, porém não percebia que estava cometendo um grande erro.
Já era noite. Ela saiu da sala. Saiu daquela sala talvez por força do destino. No primeiro momento pensou ter feito a coisa errada ao abrir aquela porta. Derramou lágrimas ao deparar com o que ocorria ali fora. Via aquele garoto que vive de sonhos, que tem o dom de amar e disse amá-la tanto, beijando outro alguém. Num relance, saiu correndo sem nem saber quem era a garota que lá estava, sob os beijos dum sonhador. Ele só percebeu quando ela já corria. Naquele instante, as dúvidas sobre o que ela sentia por ele queimavam dentro de sua cabeça. No mesmo instante, ele foi atrás dela, precisava saber o que ocorria. Ao vê-la chorando, um mal subia sua garganta e deixava sua boca, que havia recém beijado uma qualquer, seca. Tentou se esclarecer. Sincero, disse que realmente não fazia ideia de que ela sentia por ele, algo parecido com os sentimentos dele por ela. Ela havia sentido ciúmes. Ele não conseguia acreditar. Então, num momento de silêncio, onde lágrimas escorriam em ambos os rostos, os dois abraçaram-se. Seus lábios quase se tocaram pela primeira vez. Não fosse o medo da reação dela que nele ainda habitava, ali ele mataria sua incessante vontade.
Já havia passado algumas semanas, até que um dia o sol raiou mais forte. As horas passaram. Quando o sol se pôs e lá estava a lua a brilhar tão linda, os dois amantes se encontravam sob a luz daquele luar tão belo. Os dois recordavam aquela noite, em que passaram por tanta tristeza, que a concretização dos sentimentos de um pelo outro quase que se perdeu. Estavam sentados na grama, sob a luz da lua, no sereno da noite. Olhavam um para o outro, olhares singelos. De suas bocas não saíam muitas palavras. Até que, no momento em que os dois corações pulsavam sincronizados, ela tomou-o pelo braço e os dois rostos ficaram mais próximos. Então, quando a brisa suave parou e as lágrimas de seus rostos já haviam secado, ele aproximou seu rosto do dela, fechou seu olhos e no toque mais suave e intenso, num calor intenso, a beijou. Naquele minuto tão belo, tudo o que ele havia passado com ela corria no seu pensamento, como um filme. Todas as palavras que ele escreveu em suas cartas ficaram gravadas em suas línguas naquele beijo. Custava a ele acreditar que aquilo estava mesmo acontecendo. Ele matava ali aquela vontade incessante. Matava ali seu anseio.




Red dead redemption
Henrique
Finalmente saiu o tão esperado novo jogo da produtora Rock Star red dead redemption.
Esse novo red dead conta a história de um ex peresidiário(JHON MARSTON) que volta para sua cidade natal BLACK WHATER, ao longo do jogo, você vai fazendo algumas amizades, como IRISH que é um bêbado maluco que só mete você em confusão.Sua primeira amiga, BONNIE que é dona do rancho MC.FARLAND onde você passa metade ou boa parte do jogo.Depois você vai conhcendo várias cidades, como, ARMANDILLO, CHUPARROSA, LAS HERMANAS entre outras. O jogo está ambientado no velho oeste, na fronteira do MEXICO com os EUA.
A jogabilidade do jogo é muito boa, podendo roubar bancos, cavalos, outras pessoas,corrosas e mais. Mais para o final do jogo, você volta a rever sua família: seu filho JAKE MARSTON, sua mulher ABBIGAIL MARSTON e seu tio UNCLE, você passa um tempo com seu filho, ensina ele a usar armas e a caçar, mas JAKE tem pena de matar os animais, mas tem uma hora no jogo, em que ele vai atrás de um urso (para mostrar que é homen) e daí RUFFUS, um cachorro, ajuda você a achar seu filho; daí você tem que matar o urso, usando qualquer arma do seu 'grande' arsenal de armas. No final todos que você ajudou vão tentar te matar e Uncle morre e você , sua mulher e seu filho se escondem dentro do celeiro e você vai para fora enfrenter 30 soldados sozinho.
JHON morre e JAKE e ABBIGAIL fogem.10 anos depois ABBIGAIL morre e JAKE assume seu lugar.
Com gráficos impresionantes, esse red dead (jogabilidade ótima) é o melhor jogo que eu já joguei na minha vida. E para quem gosta do estilo country e cheio de tiros aconselho que não percam a oportunidade de se divertirem com esta aventura.


O meio ambiente

Jaqueline Junges

O papel que consumimos diariamente passa por um grande processo de fabricação: primeiro, por uma máquina de lavar onde se transforma numa espécie de pasta, depois vai para um derpurador que separa as fibras e por último, a secagem...assim as folhas de papel estão prontas, podendoser cortadas.
Esse processo só é feito após derrubadas de árvores por isso é muito importante usar o papel corretamente sem ser preciso jogá-lo fora, evitando o desperdício,, evita-se a derrubada de mais uma árvore.
É preciso lembrar que com o desmatamento o nosso planeta fica com falta de oxigênio, a poluição aumenta e o ser humano sofre as consequências, assim como os animais que vivem em árvores e dependem delas para se alimentar não terão mais como se abrigar e sobreviver e acabarão extintos.

E se não houvesse bebida alcoólica
Jéssica Ianca de Castro
O mundo sem álcool...
Seria com certeza um mundo bem diferente... Imagine as pessoas em uma festa sem a bebida para desinibi-las, sem a famosa desculpa:
-Eu estava bêbado!
Para justificar as atitudes vergonhosas, tendo que admitir a si mesmas os erros conscientemente cometidos, sendo forçados a acreditar em si, encarar os medos, superar as dores, sem meio para fugir e escapar de problemas e discussões...
Vivendo a vida como ela é, sem a máscara chamada álcool, como meio de escape para um mundo que não existe.
Os alcoólicos, festeiros... que não sabem se divertir sem bebidas, seriam forçados a aprender a viver sem ela...
Com certeza muitas vidas seriam salvas!
A irresponsabilidade no trânsito diminuiria, ressaca seria algo desconhecido, o trabalho seria levado mais a sério sem os famosos happy-hours, os pais não se preocupariam tanto com a combinação:
-Adolescentes x festas (apesar de que, acho que os pais encontrariam um outro motivo para não nos deixar sair!)
Mas aí também surge aquela questão: se não houvesse bebida alcoólica, não haveria outra coisa?
As pessoas encontrariam outro modo de ter as mesmas sensações, os mesmos efeitos, descobririam outro meio de escape, outro “álcool” para as suas vidas.
A verdade é que o problema não é a bebida, mas sim aqueles que a utilizam sem limites. Com ou sem ela as pessoas teriam vìcios... Teriam desculpas... E isso porque elas evitam a realidade, fogem de seus medos, não têm coragem de assumir sua personalidade, suas atitudes, não querem admitir a si mesmas o que são, como vivem e o que farão para encarar esses fatos.
Somos incrívelmente espertos e evoluídos, mas ao mesmo tempo tão bobos... O ser humano é capaz de criar coisas fantásticas, dizem que pelo nível de tecnologia existente seríamos fortes para viver muito mais tempo. As facilidades já foram criadas, curas, remédios... Mas assim como fazemos coisas para o bem, por consequência também são criadas coisas não tão boas, o outro lado da inteligencia humana.
Muitas vezes por publicidade, marketing, enfim, assim como há poucos anos se fazia com o cigarro, as propagandas e meios de comunicação informam que a bebida alcoólica só deve ser consumida por maiores de idade e utiliza-se aquela frase clichê: Se beber não dirija, se dirigir não beba! Que é repetida por todos, mas conscientizada por poucos; as drogas lícitas como o álcool são tratadas como algo normal, ingênuo, que não é capaz de prejudicar ninguém. Enganam-se... pois ela pode acabar com muitos futuros, destruir inúmeras vidas.
Mas, graças a nossa própria teimosia enfrentamos esse vício, esse inimigo que nós mesmos criamos... criamos por medo de encarar a vida! Algo que acaba não só com aqueles que bebem, mas também com todos que os cercam, afetando a todos, acabando com as amizades, destruindo lares, dando fins tristes a lindas histórias de amor.
É difícil aceitar isso, mas sem bebidas haveria drogas leves, sem as leves viriam as pesadas, e assim posteriormente... inevitavelmente alguém criaria algo deste porte... e todos usariam para fugir de seus sentimentos sem importar-se o quão prejudicial isso fosse para saúde. Então é isso, se não houvesse bebida alcoólica, tudo seria igual, pois existiria outra coisa, outro falso “amigo”, inocentemente nocivo para nossas vidas.


O MISTÉRIO DO VELHO GALPÃO
Um pequeno garoto cujo nome é Maicon estava brincando cm seus amigos em um campinho próximo a sua casa. Neste campinho, ele e seus amigos estão construindo uma casa na árvore e abaixo desta casa, põem uma casinha de cachorro que seria a moradia Jubileu, o pastor alemão de Bruno, amigo de Maicon.
Já finalizada a casa na árvore, eles resolvem combinar de um dia desses jogar futebol, mas quando vão jogar, Jubileu se assusta e começa a correr em círculos; quando Bruno se aproxima de Jubileu, o cão avança em Bruno como se tivesse esquecido de quem era seu dono, então Bruno ouve um barulho de passos sobre folhas secas e todos os meninos se assustam . Jubileu começa a acoar em direção a casa da árvore quando Bruno e seu amigo vêem Jubileu acoando na direção da casa da árvore, correm para a casa pegar lanternas e quando voltam para o campinho eles ouvem novamente barulhos de folhas secas sendo pisadas, daí eles direcionam as lanternas no mato e procuram por algo, de repente jubileu acoa novamente mas dessa vez em direção a um velho galpão.
No dia seguinte Maicon e seu amigo se reencontram no campinho para mais um dia de futebol mas Jubileu está muito agitado. Eles ouvem um estouro forte no galpão. Eles correm pra o prédio e quando entram, a porta se fecha. Todos ficam estáticos, com medo, passos são ouvidos. Lá fora, Jubileu acoa e corre em círculos.
Maicon quebra a janela para poderem saír e ver oque ocorria lá; novamente passos ecoam nas folhas secas;os meninos resolvem ir até o mato e procurar algo, mas o que encontram é seu amigo Lucas, que também assustado se junta aos meninos.
Muitas gerações se passaram e muitas vezes fato semelhante ocorreu, mas até hoje ninguém sabe explicar que estranho ser assombra os meninos que insistem em brincar na casa da àrvore ou nos arredores.


O Mensageiro

Guilherme Rodrigues

Onde o silêncio e a escuridão predominam, ouve-se um estrondo apavorante. Logo após, um grito. O pânico surge rapidamente no meio de almas e vozes que dão seus últimos gritos. Gritos eloquentes de dor. Todos masculinos.
Um homem que é tomado pela insanidade, com seu dedo pressionando um gatilho, diz que é um mensageiro, talvez o mensageiro da morte.
Almas partem dos corpos de grandes pecadores. Que escondem em suas sombras os segredos de graves erros, trancados a sete chaves. Alguns são pais de famílias, outros, homens solitários, que vivem a vida sem alguém para compartilhar sentimentos. Mesmo que tenham vidas diferentes, são todos gananciosos, capaz de matarem um inocente cruelmente para ganhar algo que se possa desfrutar prazerosamente. Homens de negócio, mas que negocio? Todos matadores de aluguel, homens sem piedade. Misericórdia é o que pedem na hora derradeira de suas vidas, embora nunca a tenham tido.
Há pessoas que dizem que o maior dos males da vida é a morte. Bem, a morte é uma predição, cuja temos certeza de que ocorrerá, porém num tempo incerto. Mas, e quando alguém define esse tempo? Quando alguém predestina a morte do outro? Homicídio é o nome do crime para isso. Teoricamente, o mensageiro é um homicida. Mas que tipo de homicida? Qualquer um que mate alguém está cometendo um pecado mortal irreversível, sendo a vitima pouco ou exageradamente pecadora. “Matador de matadores”, talvez um termo que substitua “Mensageiro da morte”.
Contudo, a história não acaba por aqui. Onde o silêncio volta a predominar, num escuro onde o sangue viscoso já brilha no chão, uma alma ainda vive, carregada da mais pesada e negativa energia. O mensageiro terá de cumprir sua missão. As almas que não vivem mais naqueles corpos caídos no chão, com rostos assustadoramente paralisados, terão que ser carregadas pelo mesmo que as tirou. Talvez para a outra dimensão.
Então, onde o pânico ainda vive, o silêncio e a escuridão testemunham um homem ajoelhar-se no sangue brilhoso, apontar aquela arma ainda quente para o peito e disparar a morte contra si mesmo. Ali morre o homicida. Ali ele morre. Na clara escuridão, no silêncio ensurdecedor.
A alma desse humano, talvez desumano, poderá passar por um purgatório. Mas, haverá perdão? Ele se guiou para o mal, para uma dimensão além do além. Alguns acham que a sua alma queimará no fogo, do chamado inferno. Alguns simplesmente não acham nada.


Purgatório

Guilherme Rodrigues

Um assassino, ou melhor, a alma de um assassino já queima no fogo do mal, enquanto isso, os homicídios cometidos se escondem por trás do próprio suicídio.
Repentinamente, uma luz cintilante surge, deixando todos instantaneamente cegos. Quando volta a enxergar, o homicida encontra-se num lugar belo, maravilhoso, mas assusta-se ao deparar com os rostos daqueles que tiveram suas vidas tiradas, suas mortes traçadas por ele. Porém, entre eles um estranho. Um homem de vestes brancas, alto, cabelos brancos que brilham e olhos azuis com o poder de cegar. Então, com uma voz incrível, grave e afinada, o “estranho” fala com o assassino:
-Você infelizmente não é bem vindo ao paraíso.
Aflito, o assassino pergunta:
- O que... quem é você?
- Sou aquele que você chama de Deus.
No primeiro instante, o assassino tenta atacá-lo, o que não serve de nada, Deus é invulnerável, mesmo que encarnado em forma humana.
Deus então diz a ele:
- Tu terás de ser purificado.
Aflito, o assassino reclama:
- Mas e os outros que aqui estão? São todos tão pecadores quanto eu. Alguns até mais.
- São frutos de tua imaginação. Enquanto tu estás aqui, eles já passam por onde tu passarás agora.
Tudo vai desaparecendo, ele fica só. Algo começa a atormentá-lo. Todas as lembranças ruins de sua vida, os pecados que ele cometeu voltam para ele com uma força dobrada. As marcas que ele deixou nos outros ao feri-los aparecem, queimando, no seu corpo. As lembranças ruins passam por sua mente, gritos ecoam em sua cabeça, que parece queimar como num ardente incêndio.
De repente, a dor vai sumindo. Deus retorna a ele.
- Não precisa te precipitar. Logo devolvo a tua dor. Mas tenho uma pergunta pra te fazer. Estudaste matemática? Pois o número de vidas que tu tiraste multiplicado por todos os pecados que cometeste vai ser o número de vidas que passarás aqui te purificando.
Um assassino que é assassinado por seus pecados. Uma alma que realmente, só Deus sabe quando se libertará.



Psicopata ou assassino?

Rafael Orlandin Bodnar
Estávamos todos na casa do nosso amigo Jack, ele tinha uma casa bel legal, as paredes eram pintadas de uma combinação entre vermelho e preto – uma casa gótica a meu ver.
Tinha bebidas, mulheres e muito Rock n’ Roll, mas ele tinha alguns amigos bem estranhos.
O que mais se aproximou de mim foi um cara que usava lentes brancas e tinha o cabelo raspado na parte direita. Seu nome era Marylin Manson um cara que falava pouco, entretanto não sei por qual motivo, estava falando comigo. Eu e ele falávamos um pouco de tudo: de garotas, de bandas, de futebol americano, uma pessoa que falava bem, mas era um tanto fria e quando não tinha uma resposta relevante, inventava coisas que não faziam o menor sentido.
No meio do tumulto, quando eu não o enxergara mais, ele pegou uma faca, tinha uns 40 cm de comprimento e com algumas pontas na parte de cima parecendo uma espada feita para torturar alguém, e começou a matar todas as pessoas da festa, cortando suas gargantas.
Com isso fui para um dos quartos da casa do nosso querido amigo Jack que a essa altura já deveria estar morto, o quarto era no segundo andar da casa e num lugar afastado de portas, caso eu precisasse correr, teria que atravessar todo o corredor, em que certamente Marylin estaria vindo. Escuto passos na escada, lentos, vindos de uma pessoa com sangue frio, com o propósito de exterminar com quem sobrou na casa, é difícil acreditar mas este alguém era eu. A luz de baixa intensidade no quarto, mas no corredor um pouco mais forte, fez com que uma sombra fosse projetada por debaixo da porta. Foi quando o silêncio pairou no ar, tudo estava quieto, e Marylin caiu no chão, entre a porta e eu.
Rapidamente abri a porta, e vi Marylin sangrando muito, ele havia cometido suicídio, então peguei meu telefone e liguei para a polícia.
A polícia chegou à casa de Jack quase vinte minutos depois da ligação, e examinou o caso, no dia seguinte fui chamado à delegacia.
O delegado do 34º distrito, um cara bem alto, cujo nome eram Steven me chamou à sua sala.
Steven tinha um sotaque do interior, misturado com palavras judiciais, bem ao estilo de um xerife cowboy do velho oeste; e me disse que Manson havia cometido aquela chacina porque, sofria de distúrbios mentais.
Falou também que eu deveria procurar ajuda de psicólogos para superar os fatos acontecidos naquela noite e que por tanto deveria comparecer à especialista duas vezes ao mês para verificação de possíveis traumas.



Paranóia do Amor

Sabrina Matté de Camargo

Você me pergunta se sou louco
Sou sim, sou
Louco de amor por ti
Amor que ás vezes vira paranóia
Paranóia que vira loucura
Loucura que jamais passará,
Se você continuar me amando.
Se você estiver me amando
Diga-me por favor
Já estou ficando louco
Por não saber se estar me amando
Querida loucura preciso saber
Se posso ser seu amante,
Namorado, marido ou sei lá o que.
Mas simplesmente,
A sua grande paranóia do amor
Sua chama em seu coração.





Mudanças não esquecidas!
Sabrina Matté de Camargo
Nossa! Que lindo dia. Hoje é o aniversário de 15 anos de minha filha.
Ela está tão radiante. Eu nem estou acreditando, mas minha menininha está se transformando em uma mulher.
Meu nome é Sarah, tenho 41 anos e sou uma mulher bem sucedida em minha carreira, como mãe e como esposa.
Eu e minha filha Isabella somos muito unidas, até mesmo em discussões. Hoje ela comemora seu 15º aniversário.
Então, eu, meu marido e meu filho Miguel fizemos uma festa surpresa para Bella. Convidamos seus amigos e alguns parentes mais chegados. Bella ficou muito emocionada com a festa.
Comecei a recordar meu aniversário de 15 anos.
Eu , uma garota muito sonhadora, ficava imaginando como seria minha vida adulta. Meu maior sonho era ser médica, mas como ainda não era adulta, poderia apenas viver os sonhos da minha idade. Este sonho vinha sendo construído desde de que eu era apenas “um toco de gente”. Sempre pensei em fazer este 15º ano de vida com minha familía, meus amigos e pessoas de que gosto, vestir um belo vestido e dançar a valsa com meu pai. Mas não foi bem isso que aconteceu.
A festa que minha mãe progamou está do jeito que eu queria, dancei até a valsa com meu pai.
Nesta época, eu tive meu primeiro e grande amor de minha vida, aquele que até então se tornaria meu marido.
Tivemos um belo relacionamento, como tem que ser um primeiro amor. Pensava em casar com ele e ter uma vida ao seu lado.
Pois bem, foi isso que aconteceu.
Um dia estava em casa sozinha, meus pais haviam viajado para a capital, queriam comprar coisas novas para a casa.
Meu namorado apareceu no portão de minha casa, jogou uma pedrinha na janela do meu quarto. Pensei em não abrir a porta, pois tinha medo do que poderia acontecer. Mas gostava tanto dele que meu coração dava pulos de alegria ao ver o meu amado.
Deixei-o entrar. Meu coração me agradeceu quando abri a porta. Entrou! Não sabia o que fazer, nos cumprimentamos com um leve beijo de dois pombinhos apaixonados. Conversamos um pouco.
Minha mente e meu coração entraram em um único desejo, o de poder conhecer e amar mais o meu amado. Nós subimos para meu quarto. Ele, muito carinhoso, tocou uma música muito bonita.
Eu não sabia mais nem que sentimento estava vivendo. Não conseguia mais responder por mim mesma. Minha consciência dizia pra mim: não faça isso! Sua vida poderá mudar muito! Mas aquilo foi mais forte que eu. Aconteceu o esperado com dois amantes se amando.
Naquele momento eu não era mais a pequena Saráh, mas sim a mulher Sarah!
Dormimos. Acordamos horas depois, aí que fui me dar conta do grande fato corrido. Meu namorado ficou assustado, pois não sabíamos a reação que meus pais teriam. Nos despedimos com tristeza, pois não queramos nos separar naquele momento tão sublime. Ele foi embora.
Por sorte, meus pais chegaram 15 minutos depois que ele saiu.
Minha mãe perguntou porque estava tão radiante naquela noite. Gaguegei, não sabia nem o que responder, mas inventei que conseguira passar no curso. Ela me parabenizou pelo ocorrido.
Passaram -se alguns dias, chegou o meu aniversário. Comprei um belo vestido, que fez me sentir verdadeiramente mulher. A festa começou maravilhosa, a valsa com meu pai e depois com meu namorado.
Percebi que uma vizinha mal encarada e fofoqueira vinha se aproximando de mim. Ela abriu a boca e começou a falar no meio do salão e bem alto:
-A Sarah ficou horas com namorado dentro de casa! Pronto, aquilo bastou para todo mundo ficar sabendo que a garota Saráh já não era mais a mesma. Todos os convidados saíram da festa comentando sobre aquilo. Então, ficamos apenas eu, meus pais e meu amado.
Minha mãe, perguntou se era verdade o que a vizinha falou. Eu com muito medo, e vergonha respondi que sim e falei tudo o que aconteceu. Enquanto isso meu pai e meu namorado conversaram.
Meus pais não ficaram bravos. Nos deram conselhos e falaram para assumirmos o nosso amor.
Foi o que fizemos depois daquela noite.
Eu fiquei tão maravilhada com isso que a vida parecia ser apenas alegria. Vivemos muitos momentos juntos. Me formei em medicina. Nos casamos.
Agora temos dois filhos maravilhosos, sendo um deles minha garotinha Bella que comemorou seus 15 anos hoje.
Contei minha história para ela, que achou muito divertida. Comentou que adorou a festa e nos agradeceu muito.
Agora sou apenas uma mulher com lembranças de menina.


O amor nunca acaba
Larissa de Andrade

Na pequena cidade de Nonoai morava Fernando, ele era apaixonado pela prima de seu amigo que morava em Caxias do Sul, ele sempre ia para a casa de seu amigo, pois a garota sempre estava lá.
Fernando nunca havia falado com Patricia, pois tinha vergonha; então ele falou com sua prima Aline e fez várias perguntas sobre Patricia. Quando estava acabando pediu o número dela. Aline pensou um pouco e acabou dando o número.
Fernando todo emocionado ligou para ela que o atendeu e ficaram conversando horas. Ele criou coragem e pediu para sair com ela. O silêncio tomou conta da conversa, alguns minutos depois ela aceitou o convite. Então combinaram tudo, iriam se encontrar na frente de uma loja do shopping no domingo à tarde.
A hora de se encontrarem estava chegando e o nervosismo e a ansiedade aumentavam, quando Fernando chegou na frente da loja notou que Patrícia ainda não estava ali; muitas coisas passaram pela cabeça dele,mas algum tempo se passou e Patricia finalmente chegou. Ficaram se olhando fixamente por um tempo sem saber o que falar, depois de algum tempo começaram a se soltar e conversaram a tarde inteira. Mas já estava tarde e ela tinha que ir para casa, e ele todo carinhoso falou que levaria ela para casa.
No caminho ele disse que gostou muito de passar a tarde com ela, mas ele queria algo mais, para ele era pouco só uma amizade, ele então olhou no fundo de seus olhos e disse que a amava, ela ficou sem jeito quando a pediu em namoro, mas ela não precisava lhe dar a resposta neste momento. Chegando em casa perguntou para seu pai se ele permitia o namoro deles, seu pai pensou por algum tempo e no final aceitou.
Os dois saiam,se divertiam, estavam vivendo uma linda história de amor. O tempo passava muito rápido quando estavam juntos. Um gostava muito do outro. Enfim, um casal perfeito, como todos os apaixonados, mesmo sendo jovens.
Havia brigas, mas o amor sempre foi maior e distância nunca será barreira suficiente para acabar com esse amor.
“ A história nunca acabará, pois seu amor é eterno e se depender deles, se amarão até depois da morte”.



Lágrimas de amor e de dor
Natália Fernanda Ferreira
Estava caminhando meio distraída,quando bati em alguém . Meus livros e os dele se misturaram no chão .Me abaixei para pegar e ao mesmo tempo, um rapaz falou comigo, então olhei para cima.
_ Me desculpe .Eu estava distraído .Você se machucou?
_ Não ,tudo bem .E você ?
_Tudo bem .
Fez-se uma longa pausa, nossos olhos se encontraram, por um momento, esqueci que estava ali, parecia estar em outro mundo, ele era lindo, olhos caracterizavam o rosto como triste, mas na verdade seu sorriso era encantador.
Estava cheia de pensamentos , quando ele perguntou.
_Você estuda aqui ?
_Sim, estudo, e você? Nunca te vi por aqui, vem de outra escola?
_Venho de outra cidade.
Mas os pensamentos de Gisele não queriam saber cidade ou endereço só queriam saber se era paixão ou apenas desejo que sentia naquele momento. Segundos se passavam e seu coração batia cada vez mais forte.
Dias se passavam e ela cada vez mais ficava com certeza que estava apaixonada, mas Cristian o moço lindo, por quem Gisele se apaixonou sabia que estava amando aquela mulher, mas também sabia que aquele amor era proibido, pois depois que terminassem as aulas teria que ir embora, seus pais lhe esperavam em São Paulo. As aulas já estavam terminando e o amor estava crescendo cada vez mais e a dor de Cristian também, pois já estava namorando e ainda não havia contado que teria que ir embora .
Acabaram-se as aulas, chegou o dia tão indesejável, chegou a hora o minuto e o segundo. Dos olhos só saíram lágrimas de dor, o mais lindo romance se transformara em saudades e amarguras.
Anos e anos se passaram, Cristian se casou e Gisele não conseguiu outra paixão.
Já estavam velhinhos como uma flor que envelhece e fica sem suas lindas pétalas e espinhos que ficam frágeis e com qualquer tocar caem e somente o galho fica.
Assim também a paixão continuou; os dois foram convidados para um jantar dançante e se reencontraram como se nunca tivessem se separado .

Uma noite de terror .
Wellerson Rodrigues Boeira
Fui convidada para ir a uma janta entre amigos na casa de uma amiga minha . A janta aconteceria no sábado, e por coincidência seria no dia 31 de Outubro. Aproveitamos, então para fazer uma festa a fantasia .
Passei à tarde toda me arrumando com as minhas amigas. Fomos todas juntas .
Chegamos la e ainda não tinham chegado muitos convidados. Eu e minhas amigas começamos a beber , então os outro convidados foram chegando, e começaram a beber conosco .
No meio da festa o pessoal que ia dar carona para mim e minhas amigas vieram perguntar se queríamos ir naquela hora para casa, mas a festa estava tão boa que dissemos que não íamos querer ir, e eles foram embora .
No final da festa notamos que não iria ter carona para voltar, pois todos que ainda estavam ali na festa não podiam nos dar carona, decidimos ir a pé. No início estávamos mais ou menos em 20 pessoas , mas pouco á pouco esse número ia diminuindo .
Em uma certa hora me vi ali sozinha, naquela escuridão da noite; estava um tanto bêbada e não consegui pensar no que fazer; fui caminhando até que decidi pegar meu celular e ligar para meus pais , meu pai atendeu e pedi para falar com minha mãe , pois ela é mais calma .
-Pai , deixa eu falar com a mãe ?
-Onde você está ? Disse meu pai, já estressado
-Estou bem só isso ! Só chama a mãe !
Meu pai passou o telefone para a minha mãe .
-Mãe, preciso de um favor, venha me buscar .
-Onde você está ?
-Estou na frente de uma mata e há uma casa , e também á uma placa dizendo , FIQUE FORA !
Como era curiosa, fui me informar . Na casa não havia ninguém e decidi entrar, foi então que tudo aconteceu …
Ao abrir a porta uma armadilha dispara e uma seringa atinge meu pescoço me fazendo desmaiar .
Acordo em um porão escuro, onde nada se enxergava; uma luz se acende e ouço alguém descendo as escadas, fico apavorada, sem reação, estou amarrada .
Ele abre a porta, é um homem enorme parece uma armário, e usa uma máscara como se fosse um bebê em um canto há um homem preso, e no outro há uma câmera .
O maluco liga a câmera , pega um bastão de beisebol e agride o homem até ele ficar inconsciente; o homem reclama de dor, o psicopata olha para trás e vem em minha direção, o homem que está no chão levanta com muitos ossos quebrados, agarra o maluco com o braço direito e aperta a sua garganta até sufocar.
Ele me solta e fala para min fugir, saio correndo da casa, penso estar livre até pisar em uma armadilha de urso, a dor é insuportável percorre toda a minha perna, vejo o osso da minha perna e entro em desespero, vejo um carro passando na rua, me solto e corro para me livrar deste pesadelo. Entro no carro e falo desesperada:
-Mãe acelera,vamos sair daqui!
Quando chegamos em casa meus pai e meus irmãos estavam me esperando e além de eu ter passado por tudo isso, meu pai me deu um xingão e me bateu por ter bebidoe falou que eu nunca mais ia sair. Mas no outro final de semana, eu consegui sair novamente,mas desta vez não aconteceu nada fora normal.


T. 81

Acidentes de Trânsito
Caroline Brito
Hoje em dia, infelizmente estão acontecendo graves acidentes em função do consumo de bebidas alcoólicas, e também de irresponsabilidade por parte dos motoristas, ciclistas e também de pedestres, pois os mesmos, na maioria das vezes, não respeitam um ao outro causando e sofrendo acidentes que levam até a morte ou deixam inocentes feridos.
Acho que para acabar com essa situação bem precária, as pessoas devem se conscientizar e respeitar o trânsito, não bebendo quando for dirigir, não atendendo o celular, muito menos se distraíndo com coisas insignificantes ao seu redor, pois caso isso ocorra, as consequências podm ser fatais.
Então você, que está pronto pra sair com os amigos, fique atento nessa dica: se for beber, não dirija, peça para alguém, responsável, lhe trazer para casa!


Homicídios

André Dariva
Avaliando o percentual de homicídios de uma semana do estado de São Paulo podemos dizer que na segunda-feira ocorrem 11,2% dos homicídios; na terça-feira 9,7% dos ;na quarta-feira, 12,2% ;na quinta-feira, 9,7%; sexta-feira 13,6%, sendo que o sábado é o segundo dia mais violento da semana com 20,1% dos homicídios, perdendo só para o domingo, dia mais violento da semana com 23,3% dos homicídios. Dados da Secretaria de segurança pública do Estado de São Paulo.
Com esses números podemos concluir que os fins de semana são os dias mais violentos da semana no Estado de São Paulo



Nosso Planeta
Andrew César

Temos que cuidar do nosso PLANETA , mas será que as pessoas tem consciência disso?
Em pleno séc XX ainda existem pessoas que não separam o lixo e pior,poluem rios e lagos da cidade; oque será que podemos fazer para resolver esses problemas?

A educação é o PRINCIPAL meio para que esse problema seja resolvido, porque se crianças, jovens, adultos e idosos tivessem conhecimento de que se poluírem estarão fazendo um grande mal para o nosso planeta, talvez eles comecem a cuidar melhor do mesmo.
Aqui estão algumas dicas de como preservar nosso planeta:
Separar o lixo corretamente;
Jamais atirar lixo em rios, lagos e esgoto;
Reciclar plásticos e papéis;
Se possível andar de bicicleta ao invés de carro ou moto.......
Além disso há também um outro tipo de poluição, a POLUIÇÃO SONORA,não menos perigosa. A poluição sonora é o efeito provocado pela difusão do som num tom demasiado alto, sendo o mesmo muito acima do tolerável pelos organismos vivos, no meio ambiente.
Evitando a poluição e preservando nosso planeta estaremos garantido a existência da nossa espécie.
O planeta terra é a nossa moradia,por isso vamos cuidar bem dele!!!




A História de Rani e Rage

Bruno Mendes Bueno

Rani e Rage era um casal de jovens que moravam na Índia; eles namoravam escondido, pois suas famílias não autorizavam o namoro deles por causa das famílias terem religiões diferentes.
O pai de Rani era um homem muito rigoroso em termos de religião e família. A
família dele só podia conviver com a religião que ele segue.
Rani tinha muito medo dele, pois ele a ameaçava, dizia que se ela saísse com alguém que não autorizava ele ia deixá-la pelo resto da vida de castigo, porque seu Deus o castigaria, se permitisse isso.
Rage era duma família mais pobre mas ele era um homem muito corajoso e estava disposto a fazer de tudo para ter Rani do seu lado. Os dois se encontravam depois da faculdade, num vale de montanhas, mas não aguentavam mais namorar escondido e um dia pensaram em fugir, porém não conseguiram,pois as os aviões estavam lotados. Resolveram, então, esperar. Depois de alguns meses tentaram novamente e compraram as passagens pela internet e agendaram seu vôo.
Eles iam para o Brasil, construir uma nova vida. Saíram de manhã bem cedo e se encontraram no vale das montanhas, pegaram um táxi e foram até o aeroporto,chegaram a tempo e deu tudo certo. Seus familiares começaram a perceber a falta deles e procuraram por toda cidade e não encontraram o casal.
Depois de um tempo a irmã de Rani foi ao seu quarto e embaixo do travesseiro estava uma carta onde Rani disse que ia fugir com Rage.
Seus pais ficaram loucos procurando, tentaram procurar por toda Índia.
Já era tarde.Os dois estavam no Brasil e lá ficaram o resto da vida. Formaram uma família, tiveram filhos e mostraram que o amor e capaz de atravessar barreiras.

Stress

Caroline Brito

Muito se fala de stress hoje em dia. E não é pra menos, com tantas atividades e responsabilidades nos cercando todos os dias, fica difícil não se sentir estressado.
Porém, para algumas pessoas, stress simplesmente não existe, talvez porque a percepção dessas pessoas para os acontecimentos cotidianos seja diferente da de outras pessoas.
Imagine uma situação em que você está preso no engarrafamento, para algumas pessoas isso é motivo para começar a se irritar, buzinar, gritar, enfim, se descontrolar totalmente. Já para outras pessoas, é facilmente contornado, por exemplo, lendo algo, ouvindo música, cantando ou até mesmo fazendo a barba.
E essa é a melhor saída: manter o controle, acalmar-se!
Não importa o que você está fazendo, o que importa é que aquela situação vai passar tranquilamente e o seu corpo vai agradecer por não colocá-lo em stress.


Chilique de Famoso
Anne Szalanski Ferreira
Mais um belo dia de sol, mas não um dia ensolarado qualquer! o dia em que eu fui assistir ansiosamente ao espetáculo de teatro de minha autriz favorita,Cláudia Raia. É ela mesma.
Eu e minha amiga compramos os ingressos semanas adiantadas. Júlia nem gostava tanto assim dela e foi mesmo pra assistir a peça que estava com a maior propaganda. Pois bem, lá estávamos nós na primeira fila, se matando de tanto rir, até chegar o fim da peça e eu ter a ideia de invadir seu camarim; a minha amiga, é claro discordou, falando toda hora, depois dos meus inquietantes pedidos, “você esta louca Andreia” até que depois de uns cinco minutos, enchendo o saco da coitada; naquele enorme salão já quase vazio, ela concorda.
Por traz daquelas imensas cortinas, avistamos aquele segurança enorme, que convenci Júlia a distrair prometendo que lhe daria meu perfume importado novinho que ela adorava.
E não é que o pateta caiu direitinho ficou conversando de costas para a porta do camarim e nem ouviu meus passos descalços; abri a porta bem devagarzinho e quando finalmente entro dentro do camarim sou recepcionada por Cláudia com um grito forte de fúria:
“Foi você !”Eu falei: “Fui eu o que ,acabei de entrar aqui,eu só quero um autógrafo e muito obrigada pelo carinho,poxa”. Ela diz: “É ,tem razão não deve ter sido você,o fato é que perdi meus sapatos.”
Eu realmente fiquei chocada, lavada a seco desbotada!
“Então tudo isso é por causa de um sapato, que é só ir a uma loja e comprar outro ainda mais quando se é rico.”
Ela fez uma cara de paisagem, e respondeu: “Mas eles eram legítimos suglesz obra do maior estilista francês, que já existira além de custarem ouro é claro. Haiiiii!é muito difícil conseguir um desses.”
Já estava irritada com aquele chilique de famoso e quando estava indo embora,(detalhe:eu ajudei a procurar aquele sufi-sufe hã, sei lá, mais um menos uma meia hora) bom, continuando, quando ia abrir a porta, quando ia ir embora, dei com uma senhora de cabelos brancos, bem vestida, que estava com um par de sapatos vermelhos na mão, ela me pediu “com licença querida” , foi ate Cláudia que estava com a cabeça enfiada no guarda -roupa, lhe entregou os sapatos. Claudia que estampava no rosto nervosismo e ansiedade, ficou tão calma e feliz que chegou a cair uma lágrima de seus olhos já vermelhos e aí é claro, tudo se resolveu!
“Ah! E o que sua mãe fazia com os sapatos?”
“Diz ela que os levou para dar uma limpadinha!”
No final de tudo eu ganhei meu autógrafo e o muito obrigado pelo carinho, além do pedido de desculpa pelo “chilique”.
Mas como diz ela aqueles sapatos eram mesmo difíceis de serem encontrados! O ruim dessa historia foi a perda do meu perfume importado! Mas valeu a pena conhecer minha atriz favorita.

|
Verdadeira Amizade!

Douglas Tubiano

Amizade palavra quente
E muito ardente
Que traz pra gente
União para sempre
Amizade não é aquela
Que fala pra gente ir
Mas sim aquela que vai com a gente
Amizade é aquela que nos ajuda para sempre
Não é aquela que deixa a gente fazer o que quer
E fala:vá em frente.


A publicidade
Gabrieli Lira Lorandi
A publicidade é a maior influência no desenvolvimento de uma criança dos tempos de hoje
. Como podemos perceber, antigamente as crianças nem tinham televisão. Já hoje tem televisão e tudo que nela aparece: videogames, celulares, bonecas de tipos e tamanhos diferentes e variados, carrinhos de controle remoto.
E isso acontece porque as propagandas fazem com que as bonecas pareçam pessoas de verdade com diferentes movimentos. Para a criança é isso que é mais atraente.
E para pais, que têm condições financeiras, é fácil e acabam satisfazendo a vontade do filho.
Mas e os pais que que têm menos condições, o que vão fazer?
Acabam vendo os filhos chorarem brigar, ficar triste. E isso tudo acontece por causa da publicidade e do consumismo que ela desperta nas pessoas de todas as idades.





Rock n' Roll
Gabriel Pretto Machado
Rock n' roll, um estilo musical muito criticado por ter muitos artistas em seu meio que se drogam e também chegam ao ponto de se suicidar, podendo citar Kurt Cobain, que se suicidou em 1994.
O Rock n' roll em sua essência seria um estilo musical que falaria da paz, por isso mesmo o heavy metal se originou do rock falando de destruir coisas e matar com letras de musicas sobre mortes e guerras.
Este estilo musical vem perdendo lugar para estilos mais recentes como o chamado “ happy rock “, que na minha opinião não deveria ousar se chamar de rock, também a cultura emo cresceu nos últimos anos.
Pesquisas dizem que 92% dos jovens de hoje se “ converteram “ ao pop e outros estilos musicais, somente 8% continuam fiéis a um dos mais antigos estilos musicais. Eu sou um deles!


Sempre ao Seu Lado

Gabrieli Lira Lorandi
O filme é baseado em uma história real que aconteceu no Japão e na história o valore da fidelidade é um dos pontos que mais chama a atenção no filme.
Durante a volta do trabalho o professor universitário, Parker Wilson encontra um filhote de cachorro da raça akita e o leva para casa.
No inicio sua esposa não o aceita, mas com o tempo o professor acaba convencendo-a. Parker tem um amigo chamado Kem e conta-lhe que não foi ele quem encontrou o cachorro, mas sim o cão que lhe escolheu. O nome do cachorro Hachi estava escrito em sua coleira que significava oito em japonês.
O professor queria brincar com a bolinha com seu cão, mas ele não gostava de brincar. Kem, contou que os cachorros japoneses não pegam a bolinha apenas para agradar seu dono e ganhar biscoitos. O cachorro acompanhava seu dono todos os dias até a estação de trens e no final do dia após o trabalho esperava-o pra vir pra casa.
Certo dia, o cachorro resolveu brincar com a bolinha e seu dono fica emocionado e surpreso.
Nesse dia, porém, o cão espera pelo retorno de Parker que não aconteceu, pois ocorreu um grave problema com sua saúde e ele morre. A espera do cão pelo dono se prolonga por dez anos.
Os dias se passam e a espera fica muito dolorosa. Depois de muito tempo o cão também morre . É impossível não se emocionar com a fidelidade do animal. Ele se tornou um herói no país, onde existem três estátuas em sua homenagem e a estação do trem recebeu o nome do cão fiel e se tornou um ponto importante na capital Japonesa.
OBSERVAÇÃO: Essa é uma resenha do filme Sempre ao Seu Lado.


Importâncias e consequências do uso do papel

Darlan Gebing Scheid

O processo de fabricação do papel começa em grandes áreas reflorestadas de onde é retirada a madeira para o processo. As árvores após serem cortadas se dirigem para um local de lavagem onde são limpas para se tornarem folhas. Logo após a madeira é selecionada em um grande maquinário e é desfibrada, formando uma pasta mecânica que é prensada em grandes rolos e secada para, enfim, virar uma folha de papel ou até mesmo papelão folha de jornal,etc...
As folhas vão para uma livraria onde são vendidas para empresas,escolas,estudantes entre outros consumidores. O papel é importante para qualquer tipo de profissão,o que seria dos profissionais sem o papel para se profissionalizar.
O mundo de hoje roda em torno do papel por isso mesmo a cota de árvores que são utilizadas para a fabricação do papel é grande, o que causa um desequilíbrio natural.
Hoje em dia, temos os reflorestamentos, mas ainda existe o desmatamento que é ilegal e as consequências são graves, temos que nos conscientizar para amenizar essas consequências e preservar as árvore.


Um Autógrafo

Jean Closs

Certo dia na frente de um prédio muito badalado, quando fui entrar dei de cara com um famoso.
Ele tentou disfarçar, mas eu o reconheci de longe. Era o Neymar! Ele tinha recém comprado um apartamento ali. Eu entrei em choque, nem conseguia falar direito; ele era tão bonito que quase me apaixonei; fui logo tentando tirar uma foto com ele, quando percebi já o estava abraçando e beijando, logo pedi a ele se podia tocar no seu cabelo e se ele podia me dar um autógrafo.
Depois que eu abracei e tirei fotos com Neymar. Ele me convidou para conhecer sua suíte; passamos a noite inteira, tomando champanhe.
No dia seguinte fui entrar no seu quarto e quando abri a porta vi ele pelado em sua cama. Nunca irei me esquecer daquela cena, mas depois que eu vi ele nu, os seguranças me expulsaram imediatamente.
Fui muito triste para casa, mas quando cheguei em casa ele, o Neymar, já estava lá me esperando para conversar sobre nosso relacionamento.
Fomos tomar um sorvete para podermos conversar melhor e então após muita conversa decidimos começar a namorar. Todos os dias ele me ligava antes de ir para o seu treino.
Quando contei para minha amigas, elas nem acreditaram. Após meses de namoro eu fiquei grávida de um menino e eu não sabia como lhe contar, pois ele era muito jovem e tinha uma grande carreira pela frente e um filho naquele momento só iria atrapalhar.
Quando contei-lhe ele ficou muito espantado com a noticia, mas aceitou com muita alegria e dali por diante nos formamos uma família.
(E isso foi bem melhor que um autógrafo!


Em busca da felicidade
Jéssica Focchesato

Desde pequena sonhava com o futuro como momento de felicidade extrema, como se fosse lá que todos os sonhos irão se realizar.
E aí está o grande problema, na adolescência vi que não basta esperar, os sonhos não esperam e a hora de ser feliz é agora.
E hoje vejo a felicidade nas pequenas coisas que, talvez, as pessoas julguem como banal é o fato de acordar todos os dias e ver que o mundo lá fora é maravilhoso aos olhos de quem sabe usufruir.
Enfim, hoje estou aqui com 23 anos e ainda com muita coisa para viver. Com muitos sonhos já realizados e o maior deles chegará em pouco tempo, depois de 9 meses vejo que tudo que pensei na minha adolescência foi verdade.
E hoje posso dizer achei minha felicidade.



Uma Viagem a Bombordo e a Estibordo
Jéssica Lima
Dentro de um barco cada lado tem seu próprio nome. O lado esquerdo é chamado de bombordo e o lado direito estibordo há também outros nomes que se dão pra parte traseira e dianteira, mas isso não vem ao caso agora.
O barco em que eu estava andando, vagarosamente pelo grande oceano tinha à bombordo o imenso oceano azul. Estava cansada de olhar o oceano, então num pulo, me levantei e corri até estibordo. Foi aí que eu vi uma paisagem linda: era uma ilha, repleta de cores brilhantes, flores, árvores, lindos pássaros coloridos voando, um mar se quebrava em ondas na areia formando um lugar muito bonito que despertava muita vontade de ir até lá .
Apesar de sua beleza maravilhosa a ilha tinha um certo tom de mistério o que fazia com que todos que estavam a bordo sentissem vontade de ir naquela ilha. Eu a chamei de ilha dos sonhos. Como que por milagre a ancora foi jogada e o capitão anunciou que deveríamos descer para abastecer o convés do navio, pois a água potável já estava acabando.
Ele disse:
-Tripulação do Navio Peregrino da Alvorada a água potável do navio está acabando e a comida está pela metade. Pelos meus cálculos devemos encontrar um próxima ilha só daqui á nove dias e não temos certeza se o nosso abastecimento irá durar até lá. Então dou como missão a todos vocês procurar frutos e águas o suficiente para aguentarmos até chegar a Ilha da Estrela.
Dito isso todos pegaram o que era necessário para levar e desembarcaram do navio. O capitão também recomendou que ao sairmos para exercer essa missão fizéssemos grupos de dois ou mais para não nos perdemos. Eu fui junto com com o capitão Cáspiam, Edmundo e o Eustáquio. Acho que dizer de pronunciar meu nome, me chamo Lúcia. Já estavam todos, colhendo bananas e outras frutas que se concentravam na ilha, quando Cáspian se deu conta de que tinha esquecido sua espada (algo que geralmente não deve acontecer), então tivemos que voltar para procurar.
Enquanto ele e Eustáquio procuravam sua espada, eu e Edmundo fomos até a proa do barco (parte dianteira) e notamos que lá como de costume nos barcos havia uma estátua na frente. A figura era uma sereia muito bela, com uma grande cauda verde, olhos azuis da cor do céu e longos cabelos dourados.
De um modo meio mágico eu fiquei admirando a figura, olhei tanto que já a tinha como minha amiga, como se fosse mesmo real.
-Lúcia, vamos! Cáspian e Eustáquio estão nos esperando na poupa (parte traseira do barco).
Edmundo fez com que eu perdesse a linha do meu pensamento e me fez voltar a realidade. O caminho todo fomos combinando; eu nem prestei atenção no que eles falavam, fui pensando no que iríamos encontrar lá.
Os garotos estavam tão cansados que nem olharam para os lados. Estávamos em um dos pontos mais altos da ilha, a vista estava ainda mais linda. De lá podíamos ver o Peregrino, todas as montanhas, que ficavam a baixo da nossa, a linda vegetação, um mundo de cores, o mar se quebrando na beira da ilha e tudo de mais lindo que se possa imaginar. Digo uma coisa, se eu pedisse ficaria lá para sempre. Nós quatro, estávamos lisonjeados com a beleza daquela maravilhosa ilha, pois lá podíamos avistar cavernas nas quais podíamos ficar imaginando que viviam dragões sereias e outros tipos de conto de fadas.
O sol já estava se pondo, mas nós ficamos mais um pouco, observando o horizonte e a despedida do sol no outro dia acordamos cedo e fomos em uma caverna que tínhamos visto lá de cima, levamos uma grande surpresa: lá em baixo havia um rio que continha peixes que só dão em água doce. Foi assim que encontramos água potável para nos abastecer. Voltamos ao Peregrino, levando bastante água para aguentar até chegarmos a ilha da Estrela .
Depois disso seguimos viagem deixando para trás todas as maravilhosas paisagens da ilha dos Sonhos, mas jamais vou esquecer tudo que passamos lá.



Novas Lembranças
Jéssica Lima
Anna é uma linda mulher. Tem longos cabelos, negros como a noite, bem lisinhos. Ela é uma garota de origem chinesa; ela sempre teve um trauma desde criança, ela nunca tivera uma festa de aniversário, pois quando completou o primeiro aninho, seus pais morreram no dia de seu aniversário. Hoje ela completa quinze anos por isso lembrou que durante todos os anos de sua vida seu aniversário havia sido esquecido.
O que ela não sabia é que uma de suas amigas sabia da data de seu aniversário e estava organizando uma festa surpresa. Ela passou o dia inteiro choramingando pelos cantos, mas quando estava indo para casa uma de suas amigas a chamou para ir até o salão de festas A principio ela estranhou , mas depois decidiu ir. Chegando lá, ela viu todos os seu amigos, sorrindo e contando “Parabéns pra você...”
Ela chorou muito, mas adorou a surpresa. Essa experiência ajudou-a a dar lugar a novos sentimentos. Por isso é sempre bom ter amigos.


A TURMA DA TERCEIRA IDADE COM TUDO EM CIMA
Kaliandra santos da silva
Um dia sentada na cadeira de balanço da minha mãe parei para pensar um pouca sobre minha vida e o que vou ser quando ficar velha. Pretendo ser igual minha mãe, jovem, linda, charmosa, elegante e maravilhosa com meus filhos e também saber educá-los como ela fez comigo.
Então fiquei me imaginando velhinha, mais ou menos 66 ou 69 anos de pura juventude!
Pensei, quero ver meus amigos e amigas da escola do meus tempos de mocinha. Eu, velhinha, contando para meus netos minhas aventuras espetaculosas, legais, animadas, amorosas e cheias de confusões. Quando cheguei na escola pela primeira vez me lembro da minha cara de espanto, nervosismo, medo; queria sair correndo naquela hora, mas aí os encontrei e imagino-os velhinhos em minha companhia, afinal nosso lema é MAIS UNIDOS, SIM, UNIDOS PERMANECEREMOS.
A vovó Gigi, uma figura que soube me conquistar e me aprontar uma atrás da outra, mas com esse jeito estranho, medonho, atrapalhado e safado com esses olhos de quem quer aprontar pular a janela e ir para o mundo.
A Vovó Kaká é um máximo! Como queria uma vó dessas: maravilhosa, meiga, gentil, louquinha mas, uma ótima vó, junto com o vovô Mateus.
Não poderia esquecer da turma da terceira idade com fôlego e com tudo em cima, bonitas, jovens e gatonas até depois de seis filhos e oito netos
.Não posso esquecer o vô Jonas e o vovô Jojo na altura do campeonato já com seus 67 anos de pura pelanquice e gostosura tudo caído, mas eles sempre com tudo em cima se achando os pegadores, os garanhões, pois se no tempo de escola pegava geral, porque o vovô Jonas não pegará depois de tanta experiência.


O Céu a Lua e as Estrelas

Mariana Dalssasso Zardo.


Estava sentada olhando o sol se pondo e de repente
a lua brilhando com as estrelas ao seu lado iluminando.
O dia acabou e a noite chegou.
Fiquei lá observando a noite linda chegar,
e só assim pude perceber que a lua
e as estrelas são tão perfeitas quanto
EU e VOCÊ.


Quase fim
Nicolas Santos
O começo foi em 1995, viemos de Iowa, um estado do Centro- Oeste dos Estados Unidos, tivemos vários problemas com os integrantes da banda, fizemos shows em todo o mundo, nossa cidade original é Des Moines, consagrada, por ser considerada uma cidade Diabólica, muitos supersticiosos, acreditam que, quando Lúcifer foi banido do Céu, por contrariar as vontades de Deus, a primeira cidade que ele visitou foi a amaldiçoada Des Moines.
Mas com o passar do tempo, isso foi mudando, fazendo com que as pessoas do mundo atual fossem esquecendo esse passado sombrio de Des Moines. Crescemos, e tivemos nossa infância nessa cidade amaldiçoada. Fomos conhecendo-nos um por um, tendo a oportunidade de nos conhecer melhor. Mas, teve um dia em que quase decaímos em comparação aos outros compositores
O nosso primeiro percursionista, Shawn, foi quem teve a ideia de criar o Slipknot. Para mim foi um sonho em entrar numa banda de New Metal; eu cresci tocando baixo e depois aprendi um pouco de guitarra; eu não via diferença entre a guitarra e o baixo, mas depois quando virei profissional, consegui enxergar o verdadeiro sentido das notas musicais saídas das cordas de uma guitarra.
Shawn foi o primeiro, mas quem levou a banda para frente foi o nosso baterista Joey. Ele é quem compõe as músicas da banda, mas é claro que todos tem que concordar, mas se realmente não fosse por ele, não teríamos ganhado o Grammy 2008 por melhor música.


Em busca de um autógrafo

Mateus Mondadori Sironi

Certo dia, eu caminhava pelas ruas do centro quando vi o Ronaldinho Gaúcho. Sem pensar fui correndo em sua direção e pedi um autógrafo:
-Sem problema, disse ele, só preciso de uma caneta e de um papel.
Nisso, revistei os bolsos e percebi que não tinha nem a caneta e nem o papel. Sem demora, pedi a ele que esperasse ali que eu iria arrumar a caneta e o papel. E lá fui eu, correndo em meio aos carros, empurrando as velhinhas paradas no meio da rua, até que cheguei a uma loja.
Rapidamente pedi a uma moça, cujo uma caneta e um papel segurava, que me emprestasse. Desconfiada, a moça resistiu e se negou a me emprestar a caneta e imediatamente arranquei o papel e a caneta de suas mãos e sai correndo como um fugitivo da polícia. Empurrei as velhinhas e atravessei em meio aos carros até re encontrar com Ronaldinho.
Entreguei a caneta e o papel a ele, mas para meu azar a caneta estava sem tinta e não funcionou. Novamente sai correndo, atravessando a rua em meio aos carros, empurrando as velhinhas até chegar a outra loja.
Desta vez me emprestaram a caneta e o papel e eu, sem demora, fui correndo ao encontro do Ronaldinho, atravessando a rua, empurrando as velhinhas até chegar ao local onde ele estava.
Estava tudo certo, eu tinha o papel, a caneta funcionava, só faltava um pequeno detalhe, o Ronaldinho não estava mais lá. Na certa ele ficou de saco cheio e foi embora.,

O Crack e os Jovens

Franciele Storchi

O crack é uma droga que a maioria dos jovens que provaram, não queria ter conhecido. Os amigos e familiares precisam ter paciência e muito amor com o viciado, pois o viciado em crack se transforma numa pessoa sem ética ou moral; ou seja, a pessoa prejudicada não tem noção do que faz e de quem esta prejudicando.
O consumo dessa droga, tem influência dos amigos, e ao ser dependente dele, muitos têm a coragem de abandonar suas famílias. E além de morar na rua passando frio e com fome, não conseguem abandonar o crack.
Os jovens são os mais atingidos, pois os mesmos são independentes e indefesos; mas quando se tornam viciados, são bem diferentes e vistos com maus olhos pela sociedade em que vive.
E além de se transformar numa pessoa em que não podemos confiar, as mesmas ficam violentas e agridem pessoas mais próximas por causa da droga.
Atualmente, os jovens, têm tendo atitudes bem preocupantes em relação ao consumo de bebidas alcoólicas e drogas. Isso acontece com frequência em festas e pela curiosidades ou até pelo incentivo dos “amigos”.
Geralmente, o consumo não acontece uma única vez, a necessidade e a dependência tornam-se rotina do dia-a-dia, e isso se agrava cada vez mais até perceberem que não prejudicam a si só, e sim, todas as pessoas ao seu redor.

O crack
Shirley G. Pereira
O crack hoje deve ser a droga mais vendida e mais usada no mundo apesar de existirem diversos tipos.
Famílias são destruídas e sonhos de vários jovens são tirados deles por causa da droga. Essa droga é usada principalmente por jovens mais também por adultos que se viciam.
Os que são viciados nessa droga vivem nas ruas, em situações que nem é bom comentar; porém para seu tratamento precisam do total apoio de suas famílias e da sua total força de vontade, pois sozinhos não conseguem largar esse vício tão devastador que mata milhares de pessoas hoje no mundo, por não conseguirem pensar nas consequências do que fazem.
Os jovens de hoje estão cada vez mais sendo levados pelo crack que passa pela vida das pessoas como se fosse um furacão ou um tornado, levando tudo o que há de bom em suas vidas e em suas casas.

A Música

Shirley G. Pereira

A musica que encanta e
que a gente canta;
A musica que faz chorar e
que faz sorrir;
A musica que nos faz dançar e
que nos faz brincar;
A musica que contagia e
que nos traz alegria;
A musica que nos ensina e
que nos faz lembrar;
A musica que é sensação e
que fica na recordação;
A musica que é pra sempre e pra sempre existirá.






O Amor

Taynára Moura

Sentimento que não se compra, nem se vende ;
Não se pede, se conquista ;
O amor é mais do que palavras bonitas, é mais do que se possa expĺicar ….
Quando ele chega, não pede licença, invade o corpo e a alma …
Amor sentimento raro;
Maravilhoso e valioso...
Feliz os que possam dizer
Eu te amo
E mais feliz os que
Conseguem ouvir e
Absorver este sentimento ….
O AMOR .


Violência na cidade

Anne Szalanski Ferreira

Viver no corre-corre da cidade está cada dia mais perigoso, os percentuais de morte estão crescendo cada vez mais .
Os maiores índices de homicídios ocorrem no sábado e domingo, os quais deveriam ser dias calmos de descanso após uma longa semana de trabalho, são dias lotados de pessoas intolerantes ,apressadas para chegar a praia, o shopping ou cinema, será que não seria melhor pisar menos no acelerador, conseguir chegar ao local desejado ao invés de correr apressado, e não poder aproveitar o passeio?
Outro fato que contribui muito para esses índices assustadores, são as festas nos finais de semana e os jovens ou adultos irresponsáveis que as frequentam. A bebida é um dos maiores vilões destes locais a qual muitos insistem em combinar com a direção; uma péssima escolha, pois a noite que deveria ser de diversão pode acabar se tornando um grande pesadelo e você poderá nunca mais voltar pra casa.


AVENTURA NA SELVA

VITOR HENRIQUE SANTOS LORA

Em um dia ensolarado de manhã eu estava me preparando para fazer um passeio na selva da África, quando de repente eu não encontrei meu passaporte.
Eu procurei por toda minha casa mas eu não encontrei, daí então eu me sentei no sofá e pensei em tudo o que eu fiz no dia anterior, então eu me lembrei que eu tinha passado o aspirador na casa, felizmente eu não joguei fora a sujeira ; fui lá olhar e o meu passaporte estava lá dentro, meio empoeirado!
Quando eu estava limpando, vi que a viagem era amanhã e não hoje. Então eu peguei minha mala e coloquei tudo oque eu ia precisar e é claro meu facão, minhas duas armas e uns tranquilizantes. E fui me deitar! Eu estava exausto, depois de tudo.
No dia seguinte eu levantei bem cedo para me vestir , pegar minha passagem e minha mala e fui para o aeroporto pegar meu avião.
Eu cheguei na África as dez horas da manhã. Aluguei um jipe, comprei comida e bebida para um ano, uma tenda, um pouco de balas de revólver para minhas armas e mais uns tranquilizantes. E fui em direção à selva.
Quando chegue,i armei meu acampamento, acendi a fogueira e fui dar uma caminhada e pegar um pouco de lenha para a fogueira. Eu estava caminhando, quando de repente apareceu uma onça bem na minha frente; eu saquei as minhas armas e engatilhei. Só que quando eu ia atirar apareceram três filhotes .
Quando vi os filhotes, fiquei com pena e atirei para o alto. Ainda bem que eu tinha uns pedaços de carne na mochila eu peguei e joguei para os filhotes e continuei minha caminhada.
Quando eu vi uma gruta com as águas cristalinas e uma cachoeira, quando eu cheguei bem perto eu vi no fundo, quase na entrada dois olhos brilhantes e fortes.
Eles estavam vindo em direção a mim e dava para ver que era um tigre; ele estava com uma pata quebrada e todo arranhado.
Minha sorte foi que eu tinha uns tranquilizantes para colocar nas armas;eu usei um só. E o tigre adormeceu e eu cuidei dele, dos ferimentos e da pata quebrada.
Passou um ano e o tigre já estava bem melhor e e me tornei bem amigo dele e eu fui em bora da selva,voltei para casa arranjei um emprego na ÁFRICA e fui morar lá. Eu sempre visitava meu amigo “tigre”e eu o chamei de “FOR TÃO”.
Mas isto é uma outra história... até lá..

Nenhum comentário:

Postar um comentário